Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

Curso de Escrita pra lá de Criativa

Iniciando nova fase na minha vida com a minha participação na elaboração e apresentação do curso "Escrita pra lá de Criativa com o meu grande amigo Maurício Gomyde!




Que bons ventos nos levem a novos desafios, com a benção de Deus!

Mallu Magalhães - Você Não Presta

Antecipando seu novo álbum chamado "Vem", Mallu Magalhães acaba de lançar seu single "Você Não Presta", um sambalanço leve, gostoso e sem pretensão, como é a cara dela.


   Em breve, quando o disco for lançado, eu posto mais sobre ela. Quem quiser um pouco mais, clique AQUI , pra ler o que comentei sobre seu álbum anterior "Pitanga".

   Curtam o clipe de "Você Não Presta":


Crença e Convicção

Com a situação política atual, é possível discernir muito bem o que é Convicção e o que é Crença:
   Os Convictos, frente a uma prova incontestável, acabam mudando sua Convicção (em sua maioria).     Já os Crentes, frente a uma prova incontestável, não acreditam nos fatos que abalam sua Crença, e às vezes atacam aqueles que apresentam as provas.

    Antes que me perguntem, eu creio em Deus! E tenho a convicção de que todo o sistema político está falido, da base ao topo. Mas aceito que me provem o contrário!


A Literatura é imortal !

A Literatura nunca irá acabar! Simples assim. E quando eu digo Literatura, eu quero dizer no mais amplo sentido: ideias e imagens transmitidas individualmente por meio de palavras escritas ou faladas, ou outro meio que possa ser inventado, que sejam processadas na mente do leitor, criando um universo em sua imaginação. 
   Dito isso, vou um pouco mais além: não existe (ainda) forma de arte mais íntima e particular que a Literatura! 

   A arte em todas as formas, se realiza em dois processos. Existe o objeto artístico criado: música, escultura, pintura, coreografia, texto, filme, etc. E a percepção dessa obra acontece por meio da audição, visão, tato ou mais de um deles ao mesmo tempo. Essa interação: homem/obra de arte nos instiga, provoca, acalma, faz sonhar... 
   Mas a Literatura é mais complexa, pois em grande parte é preciso que se apreenda uma boa porção dela (leia) e que se absorva este texto e o transforme num filme mental, numa imagem e daí a obra se cristaliza em nosso …

The Brain Hack

Gosto muito de curta-metragens! Acho que muito interessante a forma de se estruturar uma história em pouco tempo para que seja impactante, interessante e que funcione como história. Há diversos exemplos, nacionais e internacionais, que usam muito bom bem o formato, criando obras-primas de curta duração.
   Vou começar a postar aqui alguns que realmente se destacam pela sua extrema qualidade, seja nas interpretações, no roteiro, nos efeitos especiais, ou em tudo ao mesmo tempo.

   Começo com um curta inglês chamado "The Brain Hack". O filme é um suspense tecnológico que ganhou vários prêmios mundo afora. A premissa é bem interessante: "Pode uma obra de arte ser tão precisa em design e execução a ponto de inspirar o expectador a ver Deus?"

   Na trama, um videomaker se junta a um programador/designer com o objetivo de fundir definitivamente ciência e religião, numa obra única. Como referência, eles citam vários artistas que viram Deus após uma epifania em meio ao …

Dor e Prazer

" A natureza pôs a humanidade sob o comando de dois soberanos, a dor e o prazer... eles nos governam em tudo o que fazemos, em tudo o que falamos, em tudo o que pensamos: cada esforço que pudermos fazer para nos livrar dessa submissão só servirá para comprová-la e confirmá-la."

Jeremy Bentham


Saia da Armadura!

O ser humano é feito de hábitos e convicções. O mundo em que achamos que vivemos não é real. A realidade que cada um vive e enxerga é diferente. Isso, pois na verdade é a nossa percepção das coisas, e não como elas são. Todos temos um filtro que nos faz experimentar a vida subjetivamente de uma forma particular. 
   Aquilo que causa prazer em alguém, traz dor para o outro, e medo para um terceiro. As experiências pelas quais passamos individualmente, criaram e continuam formando generalizações em nossas mentes, que por conseguinte, se tornam convicções. O agir frequente a partir destas convicções se tornam hábitos. Portanto, muitas das nossas reações às outras pessoas e ao mundo ao redor acabam sendo automáticas. Ou estamos buscando prazer ou fugindo da dor. 

   Mas também não é tão simples assim: uma dor frequente acaba sendo quase prazerosa, familiar. E, como já disse que somos seres de hábitos e convicções, acabamos por nos acostumar com essa dor em particular, e nos convencemos in…