Pular para o conteúdo principal

Saia da Armadura!

   O ser humano é feito de hábitos e convicções. O mundo em que achamos que vivemos não é real. A realidade que cada um vive e enxerga é diferente. Isso, pois na verdade é a nossa percepção das coisas, e não como elas são. Todos temos um filtro que nos faz experimentar a vida subjetivamente de uma forma particular. 

   Aquilo que causa prazer em alguém, traz dor para o outro, e medo para um terceiro. As experiências pelas quais passamos individualmente, criaram e continuam formando generalizações em nossas mentes, que por conseguinte, se tornam convicções. O agir frequente a partir destas convicções se tornam hábitos. Portanto, muitas das nossas reações às outras pessoas e ao mundo ao redor acabam sendo automáticas. Ou estamos buscando prazer ou fugindo da dor. 


   Mas também não é tão simples assim: uma dor frequente acaba sendo quase prazerosa, familiar. E, como já disse que somos seres de hábitos e convicções, acabamos por nos acostumar com essa dor em particular, e nos convencemos inconscientemente que essa dor é necessária. Por isso é tão difícil mudar de vida e eliminar aquilo que nos faz mal (relacionamentos, comportamento, trabalho, etc). Para nosso cérebro, familiaridade e padrões vêm em primeiro lugar. Então, mesmo que conscientemente fujamos da dor, o inconsciente nos direciona para o contrário, e agimos no "Piloto Automático", buscando aquele sofrimento familiar.

   Quando se envelhece, o peso das experiências de vida vai nos dando uma visão um pouco diferente sobre o que acontece conosco e o porquê disso. É mais fácil perceber que o nosso hoje é resultado direto de nosso ontem. Tudo o que fazemos, ou deixamos de fazer (nossas escolhas), tem um resultado: ação (ou inação) e reação. Em resumo: nós moldamos nossa vida!

   Por mais difícil que seja aceitar isso, muito do que reclamamos de nossa vida é causado por nós mesmos! É claro que existem acidentes e a interferência de outras pessoas em nosso percurso, mas como reagiremos a tudo isso depende somente de nós. 

   E então? Seguimos no automático, reagindo como sempre fizemos ou seguimos para um caminho diferente? Lembre-se: se agimos sempre da mesma forma, o resultado será sempre o mesmo!

   Na imensa maioria das vezes, para se conseguir mudar, ou antes disso, enxergar o que precisa ser mudado, é aconselhável ter ajuda. Digo isso com todo conhecimento de causa. Perdi anos e anos da minha vida entrando e saindo de depressões, numa montanha russa de euforia e tristeza. E sempre achando que eu era assim, afastando pessoas e deixando passar oportunidades por achar que agir daquela forma fazia parte da minha natureza.

   Mas é preciso mudar, melhorar! Imagine uma situação: você vestindo todos os dias uma armadura medieval desde pequeno. Ela é muito pesada, limita seus movimentos e sua visão, te dá dor de cabeça e não te deixa dormir direito. Mas você não pode fazer nada, por que a seu entender, a armadura faz parte de você. As coisas que você não consegue fazer, ou que não consegue perceber em algum momento são consequência da tal armadura. Ninguém nunca te disse, ou você nunca acreditou quando disseram, que você podia se livrar dela. E você pode! 


   E não é tão árduo quanto parece. É dolorido e trabalhoso, você provavelmente terá que remover uma parte de cada vez. E conforme você vai se livrando, sente como é bom estar mais livre e leve. Vale a pena! Estranhamente, porém, a armadura vai te fazer falta muitas vezes. Você sentirá falta da sua proteção e do dolorido peso que foi familiar por tanto tempo. Mas persista! Sem essa armadura você poderá realizar sonhos e desejos que você acalenta por anos e nunca se julgou capaz. Por mais clichê que soe: a felicidade está ao alcance de todos! Ninguém merece viver infeliz! 

Segue abaixo o link para download de um guia de 7 dias dos Terapeutas Sem Fronteiras, uma instituição que muito me ajudou e atende solidariamente, sem cobrança de consulta. Segue também o contato deles. Se você acha que precisa, não perca tempo! Procure ajuda!

TERAPIA SEM FRONTEIRAS - A ARTE DE SER E VIVER, por REX THOMAS
https://www.4shared.com/office/UqeTxgNGca/Terapia_sem_Fronteiras_-_Arte_.html

https://www.facebook.com/terapeutassemfronteirasbrasilia/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ayo - Joyful + Gravity At Last + Billie-Eve

Esta cantora alemã/nigeriana não é muito conhecida por aqui. Mas é um imenso talento já aclamado na Europa. Ouvi sua música pela primeira vez há alguns anos, quando baixei seu excelente álbum "Joyful", de 2006. Este inclusive, recebeu diversos discos de ouro e platina no velho continente.

      Na verdade é até difícil dizer qual de seus três discos é o melhor. Em todos ela imprime elegância e personalidade com sua bela e marcante voz. Passeando por diversas vertentes, suas canções flertam com o reggae, soul, blues, e até com o rock. 

      Mas o segundo, "Gravity At Last" (2008) é definitivamente o mais conciso, mesclando reggae e música africana. O terceiro trabalho lançado, "Billie-Eve" (2011), tem o nome de sua filha e é o mais pop entre eles.

      Destaque para as canções "Down On My Knees" do primeiro álbum, "Change" do segundo, e a contagiante "We've Got To" do terceiro. Além de uma ótima versão de "I …

Jackson Pollock - A História (De Mentira)

Jackson Pollock foi um pintor norte-americano expressionista abstrato. Inovador, ele não usava pincéis ou cavalete. Sua técnica consistia em gotejar ou espalhar a tinta sobre a tela com diversos instrumentos, estando ela no chão. Esta forma de pintura se chama action painting ou gestualismo.

      As obras dele são densas, cheias de nuances. Nunca vi um quadro dele pessoalmente, mas em foto, o efeito das camadas de tinta é de uma textura rica, com profundidade. Adoro arte abstrata! Minha mãe é artista plástica e eu gostaria muito de ter herdado esse talento dela.       Abaixo, algumas telas de Pollock:



     No excelente site sobre arte, mídias e tendências: updateordie.com, vi esta bela animação francesa de Léo Verrier. Uma homenagem em curta-metragem a esse grande artista, Jackson Pollock. Deslumbrante!
Dripped from ChezEddy on Vimeo.

How I Met Your Mother

Desde o início das séries de tv, um gênero que sempre rendeu boas histórias e personagens é o que aborda os encontros e desencontros da vida de solteiro. Seriados sobre grupos de amigos como "Friends" e "Seinfeld" bateram diversos recordes e conquistaram milhões de fãs pelo mundo.

      Um grande candidato a ser imortalizado é "How I Met Your Mother", literalmente: Como Eu Conheci Sua Mãe. Partindo do relato de um pai para seus filhos em 2030, de como conheceu a mãe deles. Ted, o pai, conta  suas aventuras de solteiro em Nova Iorque com seu grupo de amigos, suas ex-namoradas e casos, enquanto ele não encontra a mulher ideal para casar.

      Os personagens do seriado são muito bons e interpretados por atores muito carismáticos. Nos EUA, o programa é muito popular e já está na sétima temporada. Várias personalidades já fizeram participações, entre elas: Britney Spears, Katy Perry, Jennifer Lopez, Jorge Garcia (Hurley de Lost) e Amanda Peet. No Brasil f…