Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Geração Beat

Este livro não é para qualquer um. Primeiro, porque não é um romance, e sim uma peça de teatro. Segundo, porque é preciso já ser "iniciado" em Kerouac para entender o contexto. Não que seja hermético, pelo contrário, é tão casual, que nos perguntamos o objetivo final da obra.


      Na verdade, ela retrata a cena beat, com os vagabundos, os boêmios, e os vagabundos-boêmios. Todos os elementos estão aí: o espírito "carpe diem", as bebedeiras, as corridas de cavalos, a busca espiritual zen-budista, o jazz.
      Mas o texto não é tão impactante como outras obras como "Vagabundos Iluminados" ou clássico "On The Road", principalmente por não ser escrito no "fluxo de consciência", marca registrada de Jack Kerouac.       Vale pela curiosidade, tanto pelo formato, quanto pelo ineditismo. O manuscrito foi achado uns anos atrás em um armazém nos EUA. Como fã do cara, eu curti!

Beirut e Hey Rosetta!

Depois do clipe da Banda Mais Bonita da Cidade que eu postei (aqui), meu amigo Murilo me pediu para postar outro clipe, que segundo ele seria a ideia original.        A banda é a canadense Hey Rosetta! e o clipe "There's An Arc" é de 2009. Bastante caseiro, como pode-se ver abaixo:

      Eu defendo que a inspiração deve ter vindo de outro lugar: da banda norte-americana Beirut. Veja abaixo o clipe da música "Nantes", que é de 2007:

        Mas eu ainda acho o clipe da Banda Mais Bonita Da Cidade mais legal, por tudo que eu já falei na outra postagem.

Skoob

Já foi o tempo em que as redes sociais eram apenas para reencontrar amigos, mostrar fotos e xeretar a vida alheia. Hoje, como (quase) todo mundo sabe, existem redes sociais bem específicas, para reunir pessoas com interesses semelhantes: fotos, música, trabalho, esportes, cinema e, claro, livros.      O Skoob é uma rede brasileira, existe desde o início de 2009 e hoje tem mais de 337 mil usuários e quase 170 mil livros e revistas cadastrados.      Bem simples de usar, o site permite que se monte sua estante virtual, organizando o que você já leu, está lendo e vai ler, e não apenas com os livros que você possui, mas aqueles que deseja. Também é possível avaliar os livros e escrever resenhas. Recentemente, foi incluída uma ferramenta para se permitir trocar livros entre os usuários de forma mais segura.       Como toda rede social, há uma grande interação entre os leitores: trocando informações e opiniões sobre livros, divulgando blogs sobre literatura (eu estou lá!) e muitos autores…

E Do Meio Do Mundo Prostituto Só Amores Guardei Ao Meu Charuto

O Rubem Fonseca é um dos grandes escritores brasileiros! Mesmo não sendo badalado, sua obra é uma das mais interessantes da literatura nacional.       Esse curto livro é um ótimo exemplo de como o Rubem é um excelente escritor. Conciso, preciso e delicioso de ler.      Nesta história, ele junta o personagem principal de seu livro Bufo & Spallanzani, o escritor Gustavo Flávio, com o personagem mais famoso dos romances e contos de Rubem: o advogado Mandrake (que virou até série de tv), numa trama de crimes, um certo suspense, literatura, mulheres e muitos charutos.      A narrativa mal acontece, é quase toda descrita por terceiros, sendo colocada no livro como transcrições de depoimentos, cartas e conversas. E funciona muito bem, demonstrando que ele é um verdadeiro artesão do texto. Rubem Fonseca

A Palavra Certa

Depois de escrever o texto sobre o filme "Herbert De Perto" (aqui), me lembrei de uma música de um dos seus álbuns solo: o segundo, intitulado "Santorini Blues", lançado em 97. Essa música tem uma letra linda, de certa forma simples, mas sem obviedade.      É também uma das pouquíssimas parcerias entre o Herbert Vianna e a Paula Toller depois do fim conturbado de seu relacionamento no fim dos anos 80.          Eis o clipe animado:

Citação

"O destino normal do leitor fanático é se transformar num escritor. Na verdade, todo leitor e qualquer leitor reescreve o livro que lê durante o processo de leitura."
      Rubem Fonseca em "E Do Meio Do Mundo Prostituto Só Amores Guardei Ao Meu Charuto".

Book Trailer

A cada dia surgem novas formas de divulgação. Até aí nenhuma novidade, ou talvez, só novidades cotidianas. Duas dessas me chamaram a atenção pela sacada inteligente e adaptação às mídias de hoje: o Album Trailer e o Book Trailer. Eu dei uma amostra de um Album Trailer na postagem sobre o White Lies (aqui).      Normalmente a divulgação de um livro tem sido por meio do primeiro capítulo ou trechos que são divulgados. Isso funciona, principalmente quando o capítulo prende o leitor. O problema nos dias de hoje é a tão famigerada falta de tempo. Muitas vezes quando eu me deparo com esse tipo de divulgação, eu não estou no melhor momento ou no local para ler tranquilamente. E convenhamos, ler livros na telinha é um saco! Ler correndo pra ver qual é, mata a obra!      Por isso, a ideia do Book Trailer é bem interessante: um videozinho de 30 segundos que dá uma prévia da história e do clima do livro. Não substitui outras estratégias, mas é bem mais abrangente. Se o leitor achar legal,…

Do Que Eu Falo Quando Eu Falo De Corrida

Esse é o meu mais novo livro de cabeceira. Arrebatador! É daqueles livros que você não tem muito como gostar mais ou menos. Ou se adora, ou detesta! Eu adorei por que ele é uma verdadeira lição de vida. Eu sei que esse é o mais batido dos clichês, mas se encaixa perfeitamente ao livro. E é o tipo de lição que me impacta agora.        O Haruki Murakami é um dos mais celebrados escritores do Japão, e elogiado no mundo inteiro. Seu romance "Norwegian Wood" (homônimo à música dos Beatles) vendeu mais de 20 milhões de cópias no mundo inteiro. Ele já publicou 15 livros, sendo 7 destes traduzidos para o português. 

         Além de romancista, Haruki também é tradutor, maratonista e triatleta. E é aí, nessa combinação inusitada que o livro se estende. Muito bem escrito e bastante envolvente, o autor passa quase 70% do tempo falando sobre correr, 20% sobre escrever e 10% sobre sua vida. O resultado é uma breve biografia introspectiva com o diário de corrida  como destaque.       …

Mais Uma Vez

Sonhos derretendo a meia luz, Queimando como cera quente, Marcando o rosto marcado, Pingando em minhas mãos, Manchando o papel, Em forma de poesia.
O Tempo me carrega, Para o quase agora, Para o quase antes, Lento demais, Tarde demais, Muito, demais.
Você me sopra o ouvido, Beija meu pescoço, Embaraça meus cabelos, Em outro tempo, Outras horas e minutos, Perdidos na memória.
Sinto a sua essência, Sinto sua ausência Sobre mim... Sobre nós... Calma, calmaria, Antes da tempestade.
Mais uma vez, Tudo é imutável, Irremediável. Ainda espero Que os sorrisos possam brilhar, Que os olhos possam sorrir, Que os pés possam voar, E que o tempo possa voltar, Mais uma vez.

Diana Krall

Diana Krall é uma cantora e pianista canadense fenomenal! Linda, talentosíssima, com uma voz deliciosamente aveludada, e ainda muito simpática e gente boa (quem a viu no Programa do Jô sabe).


       Ela faz um som jazz da melhor qualidade, mesmo os puristas achando ela pop demais. Já lançou 12 discos e 3 DVDs, um deles gravado no Rio de Janeiro em 2008, e é sucesso no mundo inteiro.         Deixo aqui, pra encerrar o fim de semana num clima bem gostoso, três clipes dela cantando bossa nova: dois ao vivo do show no Rio e outro gravado lá, no Jardim Botânico. Bom para curtir a dois...



Herbert De Perto

O Herbert Vianna foi um dos meus grandes ídolos na adolescência. Ele era o cara! Usava óculos, tocava guitarra e cantava em uma das principais bandas de rock do Brasil, e ainda pegava a Paula Toller!        Ao longo do tempo, continuei muito fã dos Paralamas do Sucesso, e passei a admirar também seu trabalho solo e suas muitas parcerias, com artistas nacionais e estrangeiros. 

      Lembro do documentário "Paralamas em Close-Up", produzido pela HBO, que contava muito da história do grupo e um pouco do rock brasileiro. Muito bom! Quem quiser procurar, tem no Youtube em 13 partes.      Quando aconteceu o acidente com o Herbert eu não pude acompanhar direito. Eu estava trabalhando muito e não sobrava tempo pra nada. Só fui me lembrar dele quando o Paralamas lançou o disco "Brasil Afora" no início de 2009. Acabou que não escutei o álbum direito, mas voltei a ficar curioso sobre o Herbert e sua música.      No final de 2009 foi lançado esse documentário: "Herbert…

Friday I'm In Love

Como é sexta-feira, minha amiga Deca postou no Facebook o clipe dessa música maravilhosa!
     Como é sexta-feira, vou postar aqui também esse clipe ao vivo no Rio dessa música maravilhosa!
     Afinal: "It's Friday, I'm in Love!"
     Bom fim de semana a todos!

Citação

"Qual é a sua estrada, homem? - a estrada do místico, a estrada do louco, a estrada do arco-íris, a estrada dos peixes, qualquer estrada... Há sempre uma estrada em qualquer lugar, para qualquer pessoa, em qualquer circunstância. Como, onde, por quê?"


     Jack Kerouac no livro "On The Road (Pé Na Estrada)"

Érika Martins e Julieta Venegas

Depois da postagem sobre o Acústico MTV - Julieta Venegas (aqui), me lembrei do clipe de uma música que eu gosto: "Lento" da Érika Martins, que é uma versão em português de uma canção da Julieta Venegas, aqui com participação da mesma.        Muita gente não gosta da Érika, desde que ela era vocalista da Penélope Charmosa, depois Penélope. Eu gosto da voz dela, o repertório nem sempre ajuda, mas o último álbum, "Érika Martins" é bem legal! O clipe abaixo é desse disco.

Apenas Uma Vez (Once)

Por incrível que pareça, muita gente ainda não conhece este belíssimo filme irlandês. Mesmo ganhando o Oscar de melhor canção em 2008, o seu jeito independente, sem atores famosos, acabou dificultando na distribuição pelos cinemas e locadoras.

      Na trama, Ele é um talentoso músico de rua irlandês, que encontra Ela, uma imigrante tcheca vendedora de flores. Ela toca piano e vê nele o potencial de ser um artista reconhecido. Incentiva-o a gravar uma "demo" e ir para Londres divulgar seu trabalho.         É uma história bem simples, e os dois personagens não tem nome, assim como no livro "O Mundo De Vidro" (comentado aqui).


      Mas o grande diferencial da película é a Música. Não só a trilha sonora, que é fantástica e muito inspirada. Mas o amor pela Música em si que cria um laço afetivo e uma cumplicidade entre os dois, e não há como não se envolver. A química entre eles é evidente: Glen Hanssard e Marketa Irglova, e transborda da tela. De tantas músicas no …

Bob Dylan - 70 anos

Todo mundo envelhece. Isto é fato. Mas quando vemos alguns ídolos chegando em idades emblemáticas como esta, nos faz pensar na nossa própria idade. E também em quanta água já passou por baixo da ponte.        Pensando nisso resolvi colocar aqui duas indicações de filmes sobre o Bob Dylan, que mostram, cada um à sua maneira, o quanto ele já remou até aqui.


       O primeiro é o documentário "No Direction Home: Bob Dylan", de 2005, dirigido por Martin Scorcese. Longo, mas muito interessante, o filme mostra por meio de fotos, cenas de shows e entrevistas, o início da carreira de Bob, passando pelo seu estouro como folk idol, e encerra com toda a polêmica da sua transformação em rockstar. E em meio às cenas antigas, muitas entrevistas com Joan Baez, Allen Ginsberg, Mitch Miller, entre outros. Obrigatório e definitivo sobre o período!


        Já o segundo filme é uma visão subjetiva da carreira do Sr. Dylan: "I'm Not There", dirigido por Todd Haynes, em 2007. Es…

Julieta Venegas - Unplugged

Muita gente já deve ter ouvido essa cantora mexicana em algum dueto com artistas brasileiros, ou até alguma música própria sua, mas não sabe direito quem é. Julieta Venegas nasceu nos Estados Unidos, mas foi criada no México, já lançou 4 discos, recebeu vários prêmios, inclusive o Grammy Latino por melhor disco ("Limón Y Sal") e gravou um especial acústico para a MTV.
       Com ótimas músicas, esse acústico é um bom começo para quem quiser conhecer melhor o trabalho dela, Destaque para a participação especial da Marisa Monte na música "Ilusión". Para baixar, cliquem aqui.          A Julieta gosta muito de duetos, como pode-se notar neste especial, ela já fez parcerias com vários artistas: espanhóis, mexicanos e brasileiros, como Lenine, Otto, Érika Martins e Marisa Monte.          Seguem dois clipes deste acústico que eu adoro!



Faroeste Caboclo - O Filme

"Faroeste Caboclo", a mítica música da banda Legião Urbana, está virando filme. Muita coisa tem saído na mídia, já criando uma expectativa sobre a adaptação para o cinema.


       Ontem tive o prazer de ir ao set e acompanhar parte das filmagens a convite do diretor do filme, o meu amigo René Sampaio. Fizemos o curso de cinema juntos na UnB, e ele sempre foi muito talentoso. E agora, em seu primeiro longa metragem, vai mostar esse talento para o país inteiro.


Fotos por Hugo Santarém
       Do que eu vi posso adiantar que a película terá grandes interpretações, uma estética muito interessante e impecável direção de arte.


       O filme conta no elenco com Fabrício Boliveira como João de Santo Cristo, Ísis Valverde (linda e muito simpática) como Maria Lúcia, Felipe Abib como Jeremias e Antônio Calloni (arrebentando!) como Marco Aurélio, personagem criado para o filme. Quem quiser mais informações, www.faroestecaboclo.com.br/.


       Com certeza será mais um sucesso do cinema …

Antes do Amanhecer

Vampiro. Imortal. Mentira...       A sensação de poder ilimitado, ser soberano sobre o tempo, sobre o existir, é mais uma ilusão. Tudo é finito em algum momento. Tudo acaba.      Por muitos anos, séculos até, esse sentimento de onipotência me embriagou. Fui onipotente, absoluto, intocável, inumano. Quase tão imenso quanto meu ego.      Dispus de inúmeras vidas, rasgando-as para sorver suas almas, rubras e molhadas, descartáveis. Sedento, sempre sedento.    Ao longo dessa imensurável existência, confundi divindade com eternidade. O fato de estar aqui permanentemente não me faz superior às outras coisas do mundo, como o vento, as montanhas, ou o mar aqui a minha frente.      Vejo que sempre fui uma força da natureza, ceifando vidas e devastando, como uma praga. Sem direção nem objetivo, seguindo por instinto e pelo prazer de exterminar.      A vontade que eu julguei ser minha, na verdade era a necessidade guiando meus atos. Fui instrumento da destruição, pura e simples.      Mais uma peça n…

Paralamas - 9 Luas

Hoje em Brasília teve show da banda Paralamas do Sucesso num projeto chamado Eu Faço Cultura. Não pude comparecer nem conheço o projeto direito, apesar de achar o nome bem legal!       Mas me deu vontade de ouvir Paralamas, principalmente o disco "9 Luas", na minha opinião um dos melhores deles. Também me lembra uma fase especial: eu morava no Rio quando o disco foi lançado, estava num turbilhão emocional e o ouvi centenas de vezes.

      Sou fã da banda, tenho quase todos os discos, menos os últimos ao vivo. Assisti recentemente o documentário "Herbert De Perto" que é muito bom! Farei uma postagem sobre ele em breve.       Por enquanto, alguns clipes desse disco "9 Luas", que por sinal são inspiradíssimos:


Viajante Solitário

Antes de mais nada, tenho que dizer que sou fã de Jack Kerouac. O livro "On The Road" (Pé Na Estrada" no Brasil) é um dos melhores livros que eu já li, e me impactou profundamente.

     O estilo de escrever dele é ágil, vivo, pulsante, mal cabe no papel.  Este livro é um diário de viagem, ou melhor, das viagens dele, que foram matéria prima para seus romances. Em cada capítulo, ele conta impressões de uma fase de sua vida, ou viagens específicas. Quem conhece outras obras como "Vagabundos Iluminados", "Tristessa", "Os Subterrâneos" e "Pé na Estrada", vai entender o ambiente real dos bastidores dos livros, além de muitas viagens: Nova Iorque, Paris, México, Marrocos, Desolation Peak e muitas cidades do interior norte-americano.       Ele fala de sua vivência com os imigrantes em plantações nos EUA, do seu trabalho como ferroviário e marinheiro, dos vagabundos, de suas aventuras como andarilho na França, Inglaterra e em seu própr…

Eclipse

Passos vazios, Vento frio no rosto Acende a mente, E traz à tona Tudo outra vez.
É mais uma noite, A mesma de sempre: A lua como farol, Minhas mãos como travesseiros, Seu corpo como lençol.
Me perco nos pontos de luz Espalhados pela cidade, Pendurados no céu, Embaçados na visão.
Me perco em você Espalhado em suas dobras Seus olhos brilhando nos meus. Tatuados na memória.
Os passos ecoam A lembrança corta fundo Como o vento do inverno. Mas não dói tanto Quanto tentar, e não lembrar...

Cassino Hotel

Esse foi o primeiro livro que eu li do André Takeda, mas é o seu segundo publicado. O primeiro é o "Clube  Dos Corações Solitários" que eu já postei aqui.         Como eu falei na outra postagem, o Takeda é um escritor pop da melhor qualidade, com uma narrativa envolvente e cheia de referências à cultura pop, principalmente musicais.        A história me chamou muito a atenção, fora a capa (como sempre...), por ter como fundo o meio musical, pelo menos em parte. Na trama, um guitarrista ex-junkie de uma antiga banda famosa é músico de uma popstar novinha e acaba se envolvendo com ela, mas tem que manter o relacionamento em segredo. Quando o caso vaza para a imprensa, ele decide voltar para sua cidade natal no Rio Grande do Sul, e retomar contato com seu pai, seu antigo melhor amigo e sua ex-namorada, que abandonou vários anos atrás.        Envolvente desde o início, é muito difícil de largar o livro antes de terminá-lo. Os únicos problemas são: tentativa de interação com…

O Pequeno Livro do Rock

Esse livro/graphic novel é único, fantástico!
      O Hervé Bourhis conta a história do Rock'n roll de 1915 a 2009 de maneira totalmente particular, misturando fatos, capas de discos, trechos de música, citações e muitas, mas muitas, ilustrações, formando um mosaico.       Além de se inserir como personagem, nos dando uma referência mais palpável de uma pessoa comum crescendo em meio ao Rock, ele também dá sua opinião crítica, mesmo que sutil. Promove algumas "batalhas", em meio à história, comparando discos de dois artistas como: David Bowie x Lou Reed, ou Radiohead x Grandaddy.       Outro ponto interessante, é que ele não se limita aos Estados Unidos e Inglaterra, e cita muitos artistas franceses (afinal, ele é francês!) e alguns brasileiros, como João Gilberto, Mutantes e Sepultura.         Para completar, no fim do livro tem uma lista com mais de 1.000 singles, de 1950 a 2009, divididos por ano, com o nome do artista e nome da música. Se alguém se habilitar, dá pra m…

A Banda Mais Bonita Da Cidade

Seguindo o jargão de Glauber Rocha: "Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça", os curitibanos d' A Banda Mais Bonita Da Cidade fizeram um clipe caseiro genial!        A música "Oração" é simples mas gostosa de ouvir, e se repete inúmeras vezes nesse vídeo de mais de 6 minutos (sem enjoar!). A grande sacada do clipe não é o plano-sequência em si, muitas bandas já usaram esse recurso, como Os Paralamas em "La Bella Luna", por exemplo. Mas a forma como a música é interpretada ao longo do clipe. Esse vai acabar sendo indicado como revelação na MTV.       Impossível não se empolgar!

Textos meus

Estou sentindo falta de postar textos meus... Esse fim de semana posto pelo menos um poema, quem sabe um conto...
      É claro que todos os textos aqui são meus (ou a maioria), mas falta algo mais pessoal...

Paul McCartney no Brasil

Todo mundo tem seu Beatle preferido. Quando digo todo mundo, me refiro a todo mundo que eu acho que  possa se interessar por este blog. Não vejo alguém com seu  funkeiro ou pagodeiro preferido dando as caras por aqui... Mas voltando ao Beatle: meu favorito é o Paul.        Sempre achei o Lennon muito óbvio, o George muito zen e o Ringo... bom, o Ringo como compositor é um cara muito gente boa! Rss       Mas fora as brincadeiras, eu gosto muito das composições do Paul, tanto nos Beatles, quanto depois. E, sem sombra de dúvida, a melhor música tema de um filme do 007 é "Live And Let Die" .       Para comemorar a vinda do Macca, e a minha não ida aos shows, aqui vão alguns clipes:



Simone e Luís, mandem um beijo pra ele por mim!!

Pequena Abelha

De tempos em tempos, aparece um livro com uma história dramática, mas contada com tanto humanismo e sensibilidade, que arrebata a todos. Foi assim com o "Caçador De Pipas", e é assim com a "Pequena Abelha".        Com tudo para ser um dramalhão, sobre uma refugiada nigeriana que sobreviveu a várias atrocidades em sua terra natal, o autor surpreende ao mostrar leveza e doçura na abordagem de um tema pesado. Este livro narra com sensibilidade as tragédias que unem permanentemente as vidas das duas personagens principais: uma garota nigeriana e uma jornalista inglesa.         Já começa com a Pequena Abelha fazendo um "acordo" com o leitor: enxergar as cicatrizes como algo belo, em vez de marcas de sofrimento, são provas de sobrevivência. Ao longo do livro, a cada parte pesada, isso vem à mente, nos dando outra perspectiva.
         A cada capítulo, fazendo o contraponto entre as duas mulheres, a história é narrada sob o ponto de vista de uma delas.  Impr…

Scott Pilgrim Contra O Mundo

De tudo o que vi e li sobre esse filme antes de assistí-lo, nada me empolgou muito. Fiquei achando que era mais um filme para a garotada, estilo Quarteto Fantástico ou Motoqueiro Fantasma. Para falar a verdade, nem conhecia a graphic novel em que ele é baseado.         Assim, sem nenhuma expectativa, resolvi vê-lo numa madrugada sem sono para matar o tempo ou me fazer dormir. Me enganei completamente!


       O filme é surpreendente bom! Misturando games, quadrinhos, rock'n roll, porrada e cultura pop aos montes para contar uma história de amor. O visual, a linguagem e a narrativa são únicos, inovadores, no mesmo patamar de "Sin City" e "300".          Tirando o final longo demais, o que mais me incomodou foi o Michael Cera com sua cara de pastel (a de sempre), interpretando o Scott Pilgrim. Tudo bem que ele costuma fazer o papel de cara sensível, mas eu acho delicado demais.         Por sorte, a  Mary Elizabeth Winstead, que faz a Ramona, engole ele toda vez…

To Lose My Life 4 Play

O White Lies é mais do que uma banda de rock inglesa do momento. Já no primeiro álbum, "To Lose My Life..." lançado em 2009,  alcançaram o mundo inteiro com músicas muito boas, fortes, graves, com um pé nos anos 80, um som lembrando Joy Division e Echo And The Bunnymen.         No fim do ano passado estiveram no Brasil, logo antes de lançar o seu segundo disco "Ritual" (que eu ainda não ouvi), adiantando algumas músicas novas. O canal de tv Multishow já passou esse show.        Para quem quiser conhecer, segue um vídeo, um álbum-trailer de 11 minutos, com 4 músicas da banda, entremeadas por narrações de parte das letras. O resultado é lindo e dá mais peso à ótima poesia! Pra curtir!

Se alguém quiser o primeiro álbum, me avise nos comentários, que eu disponibilizo.

Pra Ser Sincero

Este livro é muito mais do que a biografia da banda Engenheiros do Hawaii ou de seu fundador e bandleader Humberto Gessinger, é uma verdadeira odisseia musical. Separado em 4 partes, este é o livro-documento definitivo sobre a lendária banda gaúcha.
       A primeira parte é um histórico pessoal do Humberto, se misturando depois à história da banda. Na segunda parte detalha-se cada disco, num trabalho primoroso e muito bonito. Na terceira e maior parte, 123 letras de música (algumas inéditas), com comentários e curiosidades. Finalmente na quarta parte, uma breve análise de Luís Augusto Fischer sobre o impacto e importância dos Engenheiros, e estilo poético e de composição do HG.
      Para quem é fã da banda, é mais do que necessário. Para os não aficcionados, é uma boa chance de conhecer toda a trajetória, e mudanças, do grupo musical e um pouco da personalidade ímpar do Humberto Gessinger. 
Humberto Gessinger

Ninguém Sabe O Duro Que Dei

Confesso que só fui entender quem foi o Wilson Simonal há alguns anos atrás, quando li o ótimo livro "Noites Tropicais" do Nelson Motta. Mesmo o meu pai sendo muito fã dele, eu ainda achava que o Simonal tinha sido apenas mais um cantor.        Acho que boa parte da minha geração teve o mesmo problema, pois o Simonal foi desintegrado da mídia, depois que se espalhou que ele era informante da ditadura. Uma pena!        Assistindo a esse documentário, é de ficar se perguntando como um mega popstar da música brasileira pôde acabar seus dias fazendo propaganda de mercado da esquina, uma paródia de si mesmo.        Mas o filme não é feito só desses momentos, boa parte dele é de entrevistas e cenas maravilhosas, mostrando o quanto o Simonal era bom, e querido pelo público. A que mais me impressionou é o dueto dele com ninguém menos que Ella Fitzgerald, cantando "The Shadow Of Your Smile", de igual para igual! Obrigatório!



Interlúdio

Esse livro é uma aula de narrativa, extremamente bem escrito. O autor, James Mcsill, é o maior consultor de escritores no mundo, um verdadeiro craque da edição e formatação do texto.        Fica bem evidente no livro, que ele não apenas sabe trabalhar textos alheios, como sabe muito bem desenvolver seu próprio material de qualidade.        Cobrindo mais de 30 anos da história dos personagens: Lázaro e Dennis, a trama começa no sul do Brasil e se estende para os Estados Unidos, Inglaterra e Portugal. Mistura romance, drama e um terror-denúncia, mostrando os bastidores da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, também conhecidos como Mórmons.        Com muitas reviravoltas, uma boa dose de suspense, e um certo tom irreverente, por vezes escrachado, a história de um amor homossexual proibido prende até o final. Vale a pena, Luz Da Minha Vida!

Toda Vez - Superaudio

Esta música é de uma banda de Brasília chamada Superaudio. Ela foi composta pelo meu amigo Maurício Gomyde, baterista da banda e também autor do livro "O Mundo De Vidro". A música faz parte da história do livro. Quem quiser saber mais (aqui). Muito foda!

Trocando Livros

Esse site é de uma sacada muito boa, e ao mesmo tempo muito simples. Ele faz a intermediação entre usuários que queiram trocar seus livros, e o gerenciamento da troca.         Muito simples de usar, ele permite cadastrar os livros do usuário. Após algum destes livros ser solicitado por outro usuário, gera-se um crédito para se solicitar qualquer dos livros disponíveis. Muito fácil! www.trocandolivros.com.br

O Roteirista - Uma Fábula Vulgar

Quando eu começo a ler um livro de algum autor novo, principalmente brasileiro, eu sempre torço para me surpreender, para que supere minhas expectativas. Detesto abandonar livro pela metade!       Com esse não foi diferente. Troquei ele no site TrocandoLivros.com.br (falo na próxima postagem) e me empolguei a ler, mas não por muito tempo...       O livro é bom, mas muito irregular. Como numa realidade fantástica, aqui tem que se fazer várias concessões para entrar no clima do livro. Não há vampiros, elfos, duendes ou super heróis, mas o ambiente descrito do curso de cinema e a situação do personagem principal são totalmente irreais! A história é interessante, tirando algumas incongruências, mas os personagens são um tanto estereotipados. Mesmo assim, consegue envolver o leitor, levando a um final um pouco confuso mas inusitado. Vinícius Pinheiro

Clube Dos Corações Solitários

O André Takeda é um escritor brasileiro super talentoso! Acabei conhecendo seu trabalho totalmente por acaso: achei a capa do livro legal (pra variar...), a sinopse bem interessante, e comprei. Mas não foi esse, foi o segundo dele: "Cassino Hotel". E acabei virando fã. Seu estilo simples, direto e sensível me cativou de imediato. E logo fui à busca deste primeiro livro dele.

        O "Clube Dos Corações Solitários", referência direta a "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" dos Beatles, é um livro pop. Digo isso sem ser pejorativo, muito pelo contrário. Não é um livro "comercial" ou de baixa qualidade, mas sim uma literatura cheia de referências pop, principalmente musicais, muito envolvente, lembrando muito o escritor inglês Nick Hornby.
        A história de Spit, personagem principal, seus amigos/banda, suas paixões e receios são totalmente cativantes! Me identifiquei bastante com seus anseios e conflitos. Me lembrou muito do que…

Files Tube

Se você quer baixar aquele álbum ou filme e não tem muita paciência de sair procurando pelos blogs ou sites de compartilhamento por aí, assim como eu. Aqui vai uma boa dica: www.filestube.com.
       De forma bem simples, ele busca o link de download direto, seja do rapidshare, megaupload, hotfile, etc. Muito prático! Tem me economizado muito tempo!

Citação

"Obras de arte são de uma solidão infinita, e nada pode passar tão longe de alcançá-las quanto a crítica. Apenas o amor pode compreendê-las, conservá-las e ser justo em relação a elas."

        Rilke no livro "Cartas A Um Jovem Poeta"

You Are So Beautiful e O Pagamento Final

Ao acabar de escrever sobre o filme Mr.Nobody, me lembrei de outro filme magistral: "O Pagamento Final (Carlito's Way)" do Brian de Palma, com atuações inspiradíssimas de Al Pacino e Sean Penn.
       Neste filme não há discussões sobre escolhas e possibilidades. É a história de um homem tentando fugir desesperadamente de seu destino implacável. Uma batalha entre o que ele quer para si (representado pela mulher amada (a linda ruiva Penelope Ann Miller) e o que está imposto para ele.
       Na trilha, a bela música "You Are So Beautiful", cantada por Joe Cocker, reforça a luta de Carlito para domar o seu destino. Achei esse clipe com uma montagem de cenas do filme. Muito bonito!



Mr. Nobody

Seguindo a indicação do blog Nerds Somos Nozes, que eu recomendo, assisti a esse maravilhoso filme. Realmente, havia muito tempo que eu não via um filme tão bom e reflexivo. O último que me lembro foi "O Curioso Caso De Benjamin Button", que me deixou pensando e repensando várias coisas por muito tempo.

      O filme é extremamente poético, partindo da ciência, como a Teoria Das Cordas, e as 6 dimensões para elocubrar sobre possibilidades e escolhas, ou realidades alternativas. Nada é bem definido no filme, intencionalmente.        Ao longo da película, o excelente diretor Jaco Van Dormael vasculha a vida toda de Nemo Nobody, desde antes de seu nascimento, até seu leito de morte com 120 anos, explorando inúmeras probabilidades durante o trajeto. Tudo é possível de ser ou ter sido.       Com a separação de seus pais, Nemo é obrigado a escolher com quem ficará, numa cena vista e revista na estação de trem. A princípio sua vida se divide entre o que acontece em cada caminho,…

Eu Amei Victoria Blue

Outro livro que comprei mais pela capa do que pela história. Achei-a de muito bom gosto, bonita e chamativa.
      Mas ao ler o livro, me decepcionei. É uma propaganda enganosa. Não que seja ruim, é bonzinho. Apenas não é um romance, propriamente dito, é mais um relato. 
    A trama curta é sobre o relacionamento que o autor viveu com uma mulher linda e desequilibrada em Nova Iorque, que depois ele descobre ser uma garota de programa.
      Recheado de sexo e auto-elogios (o autor não cansa de citar seus conhecimentos sobre vinhos, gastronomia, arte, charutos, etc), o texto é bem direto e simples, de fácil leitura. Mas falta um encantamento, envolver o leitor.        Achei má colocada a chamada da capa, já explicitando ser uma história de amor com uma garota de programa em Nova Iorque, pois no livro ele só descobre no finalzinho. Então, cria-se um suposto suspense sobre ela, em que  o narrador é o único que não sabe da verdade.
     Se o leitor ignorar as citações na capa, pode-se …

Dívida

Ao assistir ao Acústico MTV - Bandas Gaúchas para decidir qual clipe eu incluiria na postagem do Bidê ou Balde, me lembrei de uma música sensacional da banda Ultramen: "Dívida", que faz parte do especial.
       No show, eles tem a participação do Falcão d' O Rappa. Swing matador!

O Dia Que Os Discos Voadores Vieram

Neil Gaiman, para quem ainda não conhece, é um escritor inglês mega talentoso, fodão, uma verdadeira lenda-viva dos quadrinhos e dos livros.         Criador da obra-prima "Sandman" e de outras como "Stardust", "Caçadores de Sonhos", Deuses Americanos", "Os Filhos de Ananzi", Gaiman produz textos da melhor qualidade em qualquer estilo: romances, roteiros, contos ou poesia. Aqui vai uma prova do seu talento em um espetacular poema.
O Dia Que Os Discos Voadores Vieram
Naquele dia, os discos voadores aterrissaram. Centenas deles, dourados,
Em silêncio, descendo dos céus como se fossem grandes flocos de neve,
E, os Terráqueos, estavam parados e observavam, enquanto eles desciam,
Na espera, com bocas secas, aguardando para descobrir o que nos esperava lá dentro,
E nenhum de nós sabia se haveria amanhã,
Mas você não notou isso porque,
Naquele dia, no dia em que os discos voadores chegaram, por alguma coincidência,
Foi o dia em que os túmulos abriram …