Pular para o conteúdo principal

Minha Querida Sputnik - Haruki Murakami

      Este livro é singular: belo, triste e poético. A narrativa de Murakami é única. Em vários momentos ele deixa o fio da história de lado para inserir elementos reais ou surreais. O resultado é sempre algo surpreendente, inesperado, mas cheio de sensibilidade e profundidade. 
      Sua obra é subjetiva, onde ele sempre insinua, mas nunca entrega as questões principais de bandeja. É preciso reler e refletir para absorver tudo. 


      Em "Minha Querida Sputnik", Murakami cria um triângulo amoroso inusitado. Nele estão Sumire, uma jovem que quer se tornar uma escritora, e vive como se fosse um personagem beatnik de Jack Kerouac. Ela nunca se apaixonou ou sentiu desejo por alguém, mas acaba perdidamente apaixonada por Miu, uma mulher bem sucedida, elegante, atraente, casada e mais velha. Miu nunca sentiu nada por ninguém. Na outra ponta está K., o narrador da história e único amigo de Sumire, que a ama em segredo sem ser correspondido, mas se relaciona com mulheres casadas.
       Sumire começa a trabalhar para Miu e muda completamente de estilo, abrindo mão inclusive de seu sonho. Ela começa a viajar com Miu (Sputnik quer dizer "companheira de viagem" em russo), e numa pequena ilha da Grécia ela desaparece. E K. é chamado para ajudar na busca por Sumire e tentar salvá-la.
       Amores platônicos, desejo e solidão. Uma obra instigante e muito envolvente. Super recomendado!
       Outro livro maravilhoso do mesmo autor é "Após O Anoitecer" que eu já comentei AQUI!

Haruki Murakami
   

Comentários

Milena disse…
Nossa, parece ser um livro complexo, triste e romântico ao mesmo tempo... Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, interessante!

beijos!
Robson Batt disse…
Milena, eu virei fã do Murakami. Os livros dele são muito bons! Já comentei de outro livro dele que também é ótimo! Após O Anoitecer: http://robsonbatt.blogspot.com/2011/09/apos-o-anoitecer-haruki-murakami.html
Bjs!

Postagens mais visitadas deste blog

How I Met Your Mother

Desde o início das séries de tv, um gênero que sempre rendeu boas histórias e personagens é o que aborda os encontros e desencontros da vida de solteiro. Seriados sobre grupos de amigos como "Friends" e "Seinfeld" bateram diversos recordes e conquistaram milhões de fãs pelo mundo.

      Um grande candidato a ser imortalizado é "How I Met Your Mother", literalmente: Como Eu Conheci Sua Mãe. Partindo do relato de um pai para seus filhos em 2030, de como conheceu a mãe deles. Ted, o pai, conta  suas aventuras de solteiro em Nova Iorque com seu grupo de amigos, suas ex-namoradas e casos, enquanto ele não encontra a mulher ideal para casar.

      Os personagens do seriado são muito bons e interpretados por atores muito carismáticos. Nos EUA, o programa é muito popular e já está na sétima temporada. Várias personalidades já fizeram participações, entre elas: Britney Spears, Katy Perry, Jennifer Lopez, Jorge Garcia (Hurley de Lost) e Amanda Peet. No Brasil f…

Jackson Pollock - A História (De Mentira)

Jackson Pollock foi um pintor norte-americano expressionista abstrato. Inovador, ele não usava pincéis ou cavalete. Sua técnica consistia em gotejar ou espalhar a tinta sobre a tela com diversos instrumentos, estando ela no chão. Esta forma de pintura se chama action painting ou gestualismo.

      As obras dele são densas, cheias de nuances. Nunca vi um quadro dele pessoalmente, mas em foto, o efeito das camadas de tinta é de uma textura rica, com profundidade. Adoro arte abstrata! Minha mãe é artista plástica e eu gostaria muito de ter herdado esse talento dela.       Abaixo, algumas telas de Pollock:



     No excelente site sobre arte, mídias e tendências: updateordie.com, vi esta bela animação francesa de Léo Verrier. Uma homenagem em curta-metragem a esse grande artista, Jackson Pollock. Deslumbrante!
Dripped from ChezEddy on Vimeo.

Mallu Magalhães - Pitanga

Mallu Magalhães cresceu e amadureceu, e não apenas fisicamente como pode se perceber na foto. Sua música evoluiu bastante, com claras influências de seu namorado, Marcelo Camelo. E seu último disco, "Pitanga", é delicioso.

      Depois de surgir aos 15 anos como um novíssimo talento da música, e toda super-exposição que veio a seguir, Mallu lançou dois bons discos homônimos. Mas ambos álbuns são baseados em seu estilo voz e violão, com poucas variações, principalmente no segundo, onde ensaia algumas mudanças.

      Neste seu terceiro disco, "Pitanga", Mallu mostra todo seu potencial como cantora e compositora. Destaque para as deliciosas "Baby I'm Sure", "Velha e Louca" e "Sambinha Bom".       Seguem alguns clipes dessas músicas e um belo teaser do álbum "Pitanga" feito por Camelo, exaltando sua musa.