Pular para o conteúdo principal

O Mago

      Antes de mais nada, esse livro não é uma auto-biografia, foi muito bem escrito por Fernando Morais (o mesmo biógrafo de Olga). Isso faz toda a diferença, porque dá ao leitor o distanciamento necessário para mergulhar na vida do polêmico mago e escritor, sem se sentir doutrinado pela sua filosofia de vida.
      Devo dizer que nunca fui muito fã dos livros dele ou do assunto magia. Antes de ler esta biografia, havia lido apenas "O Alquimista" e "Brida", e não me interessei em ir atrás de outros mais. Mas ao ver uma entrevista com o Fernando Morais, fiquei muito curioso.
     Fiquei arrebatado ao ler a biografia! Este livro me influenciou mais do que qualquer outro que eu li nos últimos anos (com exceção o do Haruki Murakami que eu postei aqui). E não foi pela religiosidade e pela magia que permeiam toda a obra, mas principalmente pela sua trajetória.


     Em meio a muito mais erros que acertos, Paulo Coelho passou metade da sua vida buscando iluminação e a realização de um sonho.
     A iluminação veio por meio da busca pela magia e sabedoria. Paulo sempre foi católico, mesmo se envolvendo um período com o culto ao demônio. E desde seu primeiro livro de sucesso: "Diários De Um Mago" ele encontrou uma "religiosidade mágica", e vem trilhando seu caminho, semeando sabedoria e paz através de seus escritos. 
      A realização de seu sonho, sua obsessão, é o que ele desfruta hoje: um dos mais famosos e bem sucedidos escritores do mundo. Um verdadeiro popstar internacional, com sua obra traduzida em 69 línguas e editada em 150 países, e membro da Academia Brasileira de Letras.


     Além de sua história, que é interessantíssima, o livro narra muito também de Raul Seixas, que foi amigo e parceiro musical de Paulo por muitos anos.
    Essa biografia merece ser lida por todos. Paulo Coelho tem uma história de vida ímpar, amado e detestado, da beira da auto-destruição ao estrelato máximo. Um livro maravilhoso!  
Fernando Morais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Herbert De Perto

O Herbert Vianna foi um dos meus grandes ídolos na adolescência. Ele era o cara! Usava óculos, tocava guitarra e cantava em uma das principais bandas de rock do Brasil, e ainda pegava a Paula Toller!        Ao longo do tempo, continuei muito fã dos Paralamas do Sucesso, e passei a admirar também seu trabalho solo e suas muitas parcerias, com artistas nacionais e estrangeiros. 

      Lembro do documentário "Paralamas em Close-Up", produzido pela HBO, que contava muito da história do grupo e um pouco do rock brasileiro. Muito bom! Quem quiser procurar, tem no Youtube em 13 partes.      Quando aconteceu o acidente com o Herbert eu não pude acompanhar direito. Eu estava trabalhando muito e não sobrava tempo pra nada. Só fui me lembrar dele quando o Paralamas lançou o disco "Brasil Afora" no início de 2009. Acabou que não escutei o álbum direito, mas voltei a ficar curioso sobre o Herbert e sua música.      No final de 2009 foi lançado esse documentário: "Herbert…

Janie Jones - A Caminho da Felicidade

Este longa-metragem foi lançado aqui no Brasil sem nenhuma divulgação, e acabou me despertando o interesse pelo contexto musical, mas tive uma imensa surpresa: o filme é muito bom! 

      Na trama, uma garota de 13 anos, Janie Jones (Abigail Breslin) é levada pela mãe, viciada em drogas, (Elisabeth Shue) para conhecer seu pai, Ethan Brand (Alessandro Nivola), um decadente band leader. Mas a mãe acaba sumindo, deixando a filha para o pai cuidar por um tempo, enquanto ela se livra do vício. Em meio à inaptidão de Ethan como pai e uma certa rejeição quanto à sua filha Janie, eles se aproximam, enquanto a banda dele acaba.

      Mesmo a história não sendo muito original, o filme conquista pelas ótimas interpretações e pela excelente trilha sonora alt-country da banda Clem Snide. A sintonia entre a dupla central, pai e filha, é vibrante, principalmente nos momentos em que a música fala mais alto, e percebe-se que o talento musical é hereditário.

     O diretor David M. Rosenthal sou…

Mallu Magalhães - Pitanga

Mallu Magalhães cresceu e amadureceu, e não apenas fisicamente como pode se perceber na foto. Sua música evoluiu bastante, com claras influências de seu namorado, Marcelo Camelo. E seu último disco, "Pitanga", é delicioso.

      Depois de surgir aos 15 anos como um novíssimo talento da música, e toda super-exposição que veio a seguir, Mallu lançou dois bons discos homônimos. Mas ambos álbuns são baseados em seu estilo voz e violão, com poucas variações, principalmente no segundo, onde ensaia algumas mudanças.

      Neste seu terceiro disco, "Pitanga", Mallu mostra todo seu potencial como cantora e compositora. Destaque para as deliciosas "Baby I'm Sure", "Velha e Louca" e "Sambinha Bom".       Seguem alguns clipes dessas músicas e um belo teaser do álbum "Pitanga" feito por Camelo, exaltando sua musa.